iniciar sessão

Notícias

Honda CBR500RR 2016

Honda CBR500RR 2016A CBR500RR está pronta para a acção, com uma série de actualizações abrangentes. Com um novo look mais elegante, as actualizações incluem ainda iluminação de LEDs, depósito de maior capacidade, forquilha dianteira com regulação e escape com uma sonoridade mais gratificante e melhor centralização de massas.

 

1. Introdução

Rápida, económica, divertida e de preço acessível: esta é a Honda CBR500R que –desde 2013 – ajudou a redefinir e a dar um novo fôlego à classe de média cilindrada. Este modelo possui uma energia desportiva e o ADN da engenharia das CBRs de maior cilindrada, num conjunto muito equilibrado, equipado com o fantástico motor bicilíndrico da Honda.

Nas pistas, inúmeros jovens pilotos de todo o mundo têm vindo a desenvolver as suas aptidões de pilotagem aos comandos da CBR500R, durante as duas primeiras épocas do campeonato European Junior Cup da Honda. 

Ideal para quem procura subir de cilindrada (vindo de uma 125) ou para quem ainda só possui carta A2, a CBR500R oferece a sensação de conduzir uma moto desportiva, mas com um conforto real e custos de manutenção muito reduzidos, o que a torna apetecível para as deslocações do dia-a-dia e durante o fim-de-semana para deixar voar os sonhos.

E, graças às suas excelentes capacidades, a CBR500R também encontra adeptos junto do grupo de condutores mais experientes que procuram uma cilindrada mais comedida, mas que não querem comprometer a essência de uma condução agradável.

Em resumo, a CBR500R de 2016 é um modelo que inclui uma série de actualizações bem conseguidas e que a elevam a um novo patamar de performances desportivas, com o estilo e a presença soberba de um modelo totalmente adequado para os detentores da carta A2.

 

 

2. Generalidades do Modelo

Apesar do motor DOHC de 471 cm³ - que debita 35 kW (48CV) e tem consumos de 3,4Lt/100km (29.4km/litro) - e do quadro tipo diamante de tubos em aço permanecerem inalterados, a CBR500R de 2016 apresenta novas linhas gerais mais agressivas e fluidas, em toda a sua extensão. O estilo é fluído e as formas são aerodinâmicas, prontas a cortarem o ar; os faróis e o farolim traseiro de LEDs acrescentam um aspecto “premium” ao modelo. A nova gama de esquemas cromáticos dinâmicos aumenta a atracção visual.

O depósito de combustível, agora com maior capacidade permite maior autonomia e os pequenos apontamentos de pormenor, tais como o tampão do depósito com dobradiça, a manete de travão com regulação, o banco redesenhado e a chave ondulada elevam a experiência oferecida ao proprietário.

A condução melhorou com a adição da afinação da pré-carga à forquilha dianteira; do mesmo modo, o tambor das mudanças foi redesenhado e oferece mudanças mais suaves, juntamente com o novo silenciador de escape de dimensões mais reduzidas e de interior renovado, que exibe agora uma sonoridade mais em linha com a excelente entrega de potência do motor e digna do nome CBR.

 

 

3. Características-chave

 

3.1 Estilo e Equipamento

A CBR500R é um modelo popular graças às suas dimensões contidas e fáceis de levar em cidade e, também, devido às suas performances desportivas em estrada aberta ou nas curvas de montanha. Para esta nova fase de desenvolvimento da moto, os engenheiros da Honda tinham o objectivo de manter as suas formas compactas, mas dar-lhe um look novo, mais exclusivo e mais agressivo.

Tudo começa à frente, na carenagem agressiva e angular, com cada curva e aresta a fluir até à traseira de linhas desportivas. Os dois faróis de LEDs têm ângulos vivos e são compactos e muito brilhantes. Em combinação com as duas luzes de presença, os faróis contribuem para o aspecto assertivo da frente da CBR500R.

Por cima de cada farol, há uma pequena fenda que deixa passar o ar para o interior da carenagem; isto ajuda a reduzir a pressão sobre a frente da moto. A conduta na parte de baixo do pára-brisas reduz a turbulência e suaviza os fluxos aerodinâmicos à volta do capacete do condutor.

O "tema de design" tem continuidade nas superfícies angulares das outras carenagens – cujo formato aerodinâmico ajuda a canalizar o ar para a caixa do filtro do ar. As aberturas laterais de grande dimensão complementam o design e o formato das carenagens laterais e do depósito. Cada linha de design está interligada e complementa a seguinte; as carenagens inferiores e laterais parcialmente escurecidas sublinham todo o design.

Outros detalhes centrados no condutor incluem tampão para o depósito com dobradiça e manete de travão com 5 níveis de regulação. A nova chave ondulada dá um toque de qualidade mais elevada. As bases dos poisa-pés para o condutor e passageiro estão mais pequenas e os poisa-pés em alumínio para o passageiro e as pegas traseiras integradas acrescentam um toque de classe. O banco traseiro é elegante, terminado por um farolim traseiro de LEDs e lente clara e um apoio em aço de design elegante (e facilmente amovível) para o guarda-lamas.

O painel de instrumentos é compreensivo e completo e inclui um velocímetro digital, conta-rotações também digital mas com indicação por gráfico de barras, um conta-quilómetros totalizador, dois conta-quilómetros parciais, relógio e indicador digital do nível e dos consumos do combustível. O canhão de ignição inclui o sistema imobilizador da Honda (HISS) e debaixo do banco podemos guardar um cadeado em U.

A CBR500R vai estar disponível em seis esquemas cromáticos:

- Branco Ross e Vermelho Millennium (Tricolor)
- Amarelo-limão Ice/Preto Grafite
- Preto Grafite/Laranja Candy Energy
- Vermelho Millennium
- Branco Pérola Metalloid
- Preto Mate Gunpowder

Todas as cores incluem autocolantes para as rodas.

Outros Acessórios Genuínos para a CBR500R incluem punhos aquecidos, guarda-lamas dianteiro tipo carbono, bacquet para o banco, cadeado em U, saco traseiro desportivo, guarda-lamas traseiro, protecções para o depósito e tomada de carga para acessórios.

 

3.2 Motor

O motor da CBR500R é uma unidade bicilíndrica em paralelo, de refrigeração líquida e cabeça de 8 válvulas. Este motor oferece um fantástico equilíbrio entre dimensões físicas e flexibilidade na entrega de potência. As proporções "triangulares" formadas pela cambota, veio primário e contraveio são muito semelhantes às dos motores RR de quatro cilindros da Honda e muita da estrutura interna e da engenharia deste motor foi herdada das CBRs RR de 600 e de 1.000 cm³.

O diâmetro e o curso são de 67 x 66,8 mm; os moentes das bielas estão desfasados a 180° e há um veio de equilibragem para anular as vibrações de primeira ordem colocado atrás do bloco de cilindros, junto ao centro de gravidade da moto. Tanto o veio primário, como o veio de equilibragem usam carretos de "tesoura" para reduzir o ruído. Os contrapesos da cambota têm formatos especificamente desenhados para melhor equilíbrio e o seu peso reduzido permite ao motor rodar livremente e com menor inércia.

O sistema PGM-FI de injecção de combustível oferece respostas de aceleração soberbas; o pico de potência é de 35 kW (48CV) e chega às 8.500 rpm, com os 43 N·m de binário máximo a surgirem às 7.000 rpm.

O motor serve como elemento estruturante, para reforço da rigidez do quadro, com quatro fixações na cabeça. Internamente, a cabeça do motor usa balanceiros de roletes e a afinação da folga das válvulas é feita através de pastilhas, o que permitiu reduzir o peso e usar molas de menor força e menos atrito. A superfície dos pinos da corrente de distribuição silenciosa (tipo SV) tem um tratamento de Vanádio, também para menor atrito e maior protecção contra as impurezas. As válvulas do motor têm diâmetros de 26,0 mm na admissão e 21,5 mm no escape.

O diâmetro dos cilindros é de 67 mm, valor idêntico ao da CBR600RR. O formato dos pistões tem por base o que é usado na CBR1000RR, para reduzir o ruído dos pistões a alta rotação. A adição de estrias nas saias dos pistões (um acabamento que aumenta a área da superfície, através da introdução de espaços por onde pode fluir o óleo para melhor lubrificação) permitiu reduzir o atrito. Tal como na CBR600RR e na CBR1000RR, o tratamento por processos especiais forma uma membrana protectora contra a oxidação.

As camisas do bloco de cilindros de paredes finas e fundição centrífuga, alojam uma cambota com o mesmo intervalo entre apoios usado na CBR600RR, o que torna estes componentes o mais compactos e leves possível. O seu design interno reduz as perdas por bombagem que sempre ocorrem nos motores de ordem de ignição de 180°. Usando a mesma estrutura que na CBR1000RR, a bomba de óleo apresenta melhor performance em termos de aeração (ventilação), com menor atrito; o cárter de óleo é fundo e reduz a movimentação do óleo no seu interior durante as curvas e as travagens fortes. A capacidade do óleo é de 3,2 litros.

A caixa de seis velocidades é semelhante à usada nos modelos RR de maior cilindrada e usa a mesma estrutura de braço e articulações das mudanças. Uma outra actualização para 2016 que facilita a condução urbana, a carga da mola de batente do tambor das mudanças foi revista, juntamente com o formato da parte central deste componente. Isto resulta em maior facilidade e suavidade em engrenar as mudanças.

O percurso dos gases, desde a caixa do filtro de ar até ao escape, é o mais directo possível; há uma placa de separação na caixa do filtro do ar a dividir a admissão para cada cilindro. O design do novo silenciador de escape recorre a duas câmaras internas, unidas por um tubo de ligação; as dimensões físicas são menores – auxiliando a centralização de massas – e o conjunto tem menos 2 kg de peso e uma sonoridade mais marcada à medida que aumenta a rotação.

 

3.3 Ciclística

A CBR500R possui um quadro tipo diamante em tubos de aço de 35 mm de diâmetro. Este tipo de quadro é leve e robusto e permite um determinado grau de elasticidade, que oferece excelentes respostas ao condutor relativamente às alterações da superfície da estrada. A forma e a posição dos apoios do motor, juntamente com o equilíbrio da rigidez do quadro, reduzem a vibração

A distância ente eixos é de 1.410 mm e o ângulo da coluna da direcção e o eixo de arraste (trail) são de 25,5° e 102 mm respectivamente, originando uma direcção ágil mas segura e que oferece muita confiança. A centralização das massas, com o motor muito próximo do ponto de pivot do braço oscilante, permite muita ligeireza ao curvar e uma distribuição óptima do peso entre a dianteira e a traseira, para maior estabilidade. O peso a seco é de apenas 194kg

O banco é de baixa altura, 785 mm, o que torna a CBR500R muito fácil de utilizar; a posição de condução é desportiva e acomoda facilmente, e com conforto, uma ampla gama de condutores de várias alturas, graças à posição relativamente elevada do guiador.

As dimensões gerais são de 2.080 mm x 750 mm x 1.145 mm, com 140 mm de altura ao solo. Agora, o depósito de combustível tem capacidade para 16,7 litros, o que, combinado com a excelente economia do motor, oferece autonomias na ordem dos 470 km por depósito.

A forquilha telescópica de 41 mm de diâmetro e 120 mm de curso, oferece uma condução suave mas controlada; a forquilha da CBR500R de 2016 ganhou afinação da pré-carga da mola e tem acabamento Azul Alumite na sua parte superior. A suspensão traseira mono-amortecedor Pro-Link oferece 9 níveis de afinação da pré-carga e trabalha sobre um braço oscilante em aço rígido de secção em caixa. A transmissão final é por corrente selada de passo 520.

As jantes de alumínio fundido são leves e têm diâmetro de 17 polegadas; a construção é do tipo oco, com raios de secção cruzada em Y. À frente, a largura da roda é de 3,5 polegadas e o pneu têm medida de 120/70-ZR17; atrás, a largura aumenta para 4,5 polegadas e o pneu é um 160/60-ZR17. O disco dianteiro ondulado de 320 mm possui uma pinça de duplo êmbolo e é complementado por um disco traseiro de 240 mm e pinça de um êmbolo. A moto vem equipada de série com ABS.

 

 

4. Especificações Técnicas

 

MOTOR

 

Tipo

Refrigeração líquida, bicilíndrico paralelo

Cilindrada

474 cm³

Nº de válvulas por cilindro

4

Diâmetro ´ Curso

67 mm x 66,8 mm

Relação de compressão

10.7:1

Potência máxima

35 kW (48CV) às 8.500 rpm

Binário máximo

43 N·m às 7.000 rpm

Capacidade de óleo

3,2 litros

COMBUSTÍVEL

 

Alimentação

PGM FI

Capacidade do depósito de combustível

16,7 litros

Consumos (método WMTC)

3,4Lt/100Kms (29,4 km/litro)

SISTEMA ELÉCTRICO

 

Arranque

Motor eléctrico

Capacidade da bateria

12 V 8,6 AH

Potência do alternador

23,4 A/2.000 rpm

TRANSMISSÃO

 

Tipo de embraiagem

Húmida, multi-discos

Tipo de caixa

6 velocidades

Transmissão final

Por corrente

QUADRO

 

Tipo

Em aço, tipo diamante

CICLÍSTICA

 

Dimensões (C´L´A)

2.080 mm x 750 mm x 1.145 mm

Distância entre eixos

1.410mm

Ângulo da coluna da direcção

25,5 graus

Eixo de arraste (trail)

102

Altura do banco

785mm

Altura ao solo

140mm

Peso a seco

194kg

SUSPENSÃO

 

Tipo da suspensão dianteira

Forquilha telescópica convencional, 41 mm de diâmetro com afinação da pré-carga

Tipo da suspensão traseira

Mono-amortecedor Pro-Link, com afinação da pré-carga, braço oscilante de tubos em aço de secção quadrada

LIGA LEVE

 

Tipo da suspensão dianteira

Multi-raios, alumínio fundido

Tipo da suspensão traseira

Multi-raios, alumínio fundido

Dimensões da jante dianteira

17 x MT3,5

Dimensões da jante traseira

17 x MT4,5

Pneu dianteiro

120/70ZR – 17M/C

Pneu traseiro

160/60ZR – 17M/C

TRAVÕES

 

Tipo de sistema ABS

2 canais

Tipo da suspensão dianteira

Disco único ondulado, 320 mm, pinça de 2 pistões

Tipo da suspensão traseira

Disco único ondulado, 240 mm, pinça de 1 pistão

INSTRUMENTOS E SISTEMA ELÉCTRICO

 

Instrumentos

Velocímetro digital, conta-rotações digital por gráfico de barras, dois conta-rotações parciais, indicador digital do nível e dos consumos do combustível, relógio digital

Sistema anti-roubo

Imobilizador (HISS)

Farol

2 Lâmpadas – Presença 3,8W e Máximos 6,4W

 

Todas as especificações são provisórias e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

** Queira notar que os valores apresentados foram obtidos pela Honda em condições de teste normalizadas, prescritas pelo WMTC. Estes testes são realizados em andamento na estrada com a versão base da moto, apenas com o condutor e sem equipamentos adicionais. Os consumos reais podem variar consoante a forma de condução, a manutenção do veículo, as condições meteorológicas e da estrada, a pressão dos pneus, a presença de acessórios ou de carga, o peso do condutor e do passageiro e outros factores.