iniciar sessão

Notícias

Honda CBR650R 2019

A CBR650R vem substituir a CBR650F na gama da Honda, com um estilo novo e mais agressivo e uma posição de condução ainda mais desportiva, oferecendo um caráter de performances melhoradas para a estrada. O motor tetracilíndrico de 650 cm³ tem um pico de rotação mais elevado e debita mais potência e binário; esta unidade está equipada com sistema HSTC de controlo de binário variável e embraiagem assistida deslizante. A redução de 6kg no peso traduz-se num aumento de 8% na relação peso/potência. Outras novidades são a forquilha Showa USD SFF de 41 mm, as pinças de travão radiais de quatro êmbolos e o painel de instrumentos renovado. Este modelo também vai estar disponível com um kit de conversão para 35 kW, tornando-o apto para condutores com carta A2.

1. Introdução

O modelo CBR650F de carenagem integral, lançado em 2014 juntamente com a naked CB650F, oferecia uma dose muito generosa de performances do seu motor de quatro cilindros que o colocava no extremo mais desportivo do segmento de motos desportivas de turismo. Em 2017, este mesmo modelo recebeu uma atualização ao nível do estilo que revelava toda a beleza do motor, para além de um aumento na potência, uma forquilha dianteira Showa Dual Bending Valve e pinças de travão Nissin revistas.

Agora para 2019, a CBR650F transformou-se na CBR650R. Inspirada diretamente na CBR1000RR de 2018, mas com uma atitude muito própria, a "F" tornou-se assim numa "R" – uma indicação da potente capacidade desportiva concebida para ser explorada, usada e apreciada na estrada.

Durante o processo de transformação da CBR650R, esta tornou-se deliberadamente numa espécie rara: uma moto desportiva que oferece prazer, satisfação e adrenalina semelhantes às de uma RR, mas com funcionalidade suficiente – e custos de manutenção mais comedidos – que a tornam uma opção viável para o transporte do dia-a-dia, em adição ao prazer de viajar nos fins de semana.

 

2. Generalidades do modelo

Apesar de o estilo da nova CBR650R ser bastante inspirado na CBR1000RR, as linhas distintas do novo modelo de média cilindrada conferem-lhe um "look" agressivo muito próprio, especialmente na parte superior da carenagem frontal.

A posição de condução foi ajustada de forma a mover o peso do condutor mais para a frente e mais para baixo. Todas as luzes são agora de LEDs e o novo painel de instrumentos LCD inclui um indicador de mudança engrenada e outro que alerta o condutor para engrenar uma mudança mais alta.

A ciclística é 6kg mais leve do que na CBR650F[AT1] , graças às revisões introduzidas no quadro, no depósito e nos poisa-pés. A forquilha Showa USD SFF de 41 mm, as pinças de travão radiais de quatro êmbolos e os discos de travão flutuantes são todos novos. As jantes também foram redesenhadas.

As renovações ao nível da admissão, escape e distribuição, em conjunto com o aumento da relação de compressão, são os responsáveis pelo aumento de 5% na potência de pico deste motor e também pela entrega suave e forte de binário em toda a faixa de média rotação. Agora, esta unidade atinge as 12.000 rpm, mais 1.000 que anteriormente.

Para 2019, a embraiagem é do tipo assistida e com função de deslizamento, facilitando a engrenagem de mudanças mais altas e permitindo reduções rápidas e sucessivas; o novo sistema HSTC de controlo de binário variável da Honda mantém a tração da roda traseira.

 

3. Características principais

3.1 Estilo e Ciclística

  • Linhas agressivas com inspiração no estilo desportivo puro da CBR1000RR Fireblade
  • O quadro mais leve e outras medidas de "emagrecimento" permitem cortar 5,6 kg ao peso da moto em ordem de marcha
  • Forquilha dianteira Showa SFF (Separate Function Fork – Forquilha de Funções Separadas) de 41 mm de diâmetro com regulação
  • Pinças de travão radiais e discos flutuantes
  • Luzes integrais de LEDs e novo painel de instrumentos LCD
  • Avanços do guiador agora montados por baixo do triângulo superior

Apesar de o motor ser o componente que está mais em evidência, a CBR650R apresenta um chassis com uma atração desportiva enorme e pura; os dois faróis de LEDs, com a sua luz penetrante e objetiva e as carenagens superior e inferior (esta, de maiores dimensões) fundem o caráter musculado da moto com as linhas e os ângulos vivos e esguios.

O banco também está mais compacto e completa a parte traseira da moto, aumentando a sua postura agressiva. A posição de condução também agressiva começa nos avanços montados por baixo do triângulo superior, numa posição 30 mm mais para a frente e mais rebaixada do que na CBR650F; os poisa-pés estão 3 mm mais recuados e 6 mm mais altos. A altura do banco mantém-se nos 810 mm.

O quadro diamante em aço foi atualizado para 2019 com pontos de pivot prensados (em vez de forjados); este componente pesa menos 1,9 kg do que o design anterior e usa duas travessas elípticas de rigidez específica e cuidadosamente equilibrada (maior rigidez na zona da coluna da direção e mais flexibilidade nas secções das travessas), oferecendo assim uma maneabilidade mais balanceada e elevados níveis de feedback ao condutor.

O peso em ordem de marcha foi reduzido para 207kg, graças não só ao quadro mais leve, mas também a outras medidas de redução do peso aplicadas no depósito de combustível e nos novos poisa-pés de estilo super-desportivo.

Outra das novidades é a forquilha Showa USD SFF (Separate Function Fork - Forquilha de Funções Separadas) de 41 mm e afinação da pré-carga da mola e do amortecimento em extensão. Com 7 níveis de afinação da pré-carga, o mono-amortecedor de um só tubo trabalha diretamente no braço oscilante em alumínio fundido formado por gravidade. O ângulo da coluna da direção é de 25,5° e o eixo de arraste (trail) vale 101 mm, para uma distância entre eixos de 1.450 mm.

As pinças dianteiras radiais de quatro êmbolos trabalham em discos ondulados flutuantes de 310 mm de diâmetro; a travagem é complementada por um disco traseiro de 240 mm e pinça de êmbolo simples. O ABS de dois canais é equipamento de série. As jantes de alumínio fundido têm um design renovado e montam pneus 120/70-ZR17 e 180/55-ZR17 à frente e atrás, respetivamente.

 

3.2. Motor

  • 5% mais de potência acima das 10.000 rpm e redline 1.000 rpm mais alto
  • Mais binário e com entrega mais suave
  • Admissão e escape de novo design, de maiores fluxos gasosos e sonoridade melhorada
  • Sistema HSTC de Controlo de Tração Variável (HSTC) instalado pela primeira vez neste modelo
  • Embraiagem assistida com função de escorregamento
  • Kit de conversão de instalação fácil para 35 kW

Com a CBR650R, os engenheiros de desenvolvimento da Honda quiseram criar a forma mais pura de apreciar a condução de um modelo tetracilíndrico de média cilindrada com as melhores performances possíveis. Para isso, o motor DOHC de 16 válvulas e 649 cm³ foi otimizado para eliminar o ligeiro poço que se sentia às 5.500 rpm e oferecer mais 5% de potência acima das 10.000 rpm, com redline 1.000 rpm mais alto. O pico de potência é de 70kW e chega às 12.000 rpm, com o pico de binário de 64N·m a aparecer às 8.500 rpm.

Isto resulta num motor que, em estrada, oferece rotação mais elevada e durante mais tempo, com uma entrega de binário suave e linear, que aumenta à medida que a rotação sobe e tem uma sonoridade fabulosa em toda a faixa de rotação. Há um kit de conversão de instalação fácil para 35 kW disponível para detentores de carta A2.

O acionamento direto das duas árvores de cames permite obter um motor com cabeça de dimensões muito comedidas. O diâmetro e o curso são de 67 e 46 mm respetivamente e a relação de compressão foi aumentada para 11,6 : 1 (antes, era de 11,4: 1); o formato das câmaras de combustão foi otimizado para se poderem usar os novos pistões de design revisto. O conjunto de válvulas foi reforçado e seu comando foi revisto; o motor usa agora velas de irídio.

Os pistões de saias assimétricas minimizam o contacto com os cilindros e reduzem o atrito. As "espinhas ferrosas" na superfície exterior dos cilindros reduzem o consumo de óleo (e o atrito), com melhor transferência térmica; a corrente SV da distribuição é silenciosa e permite reduzir ainda mais as perdas por atrito graças ao tratamento de vanádio dos seus pinos. As passagens internas de refrigeração entre a cabeça do motor e o bloco dos cilindros permitem dispensar a maior parte das tubagens exteriores.

As novas condutas de admissão "ram air" alimentam a caixa do filtro do ar de ambos os lados da carenagem, deixando passar um caudal de ar maior em relação à conduta central única da CBR650F[AT2] . Esta nova disposição também produz uma sonoridade mais desportiva na admissão. Agora, o escape tem silenciador com ponteira de maior diâmetro – antes 35 e agora 38,1 mm – permitindo a passagem de maior caudal de gases; a saída está virada para cima e transmite a sua sonoridade desportiva de forma mais direta.

O motor possui uma arquitetura interna compacta, com a caixa de seis velocidades e o motor de arranque numa disposição "empilhada" e os cilindros inclinados 30° para a frente. A embraiagem assistida com função de deslizamento é uma novidade neste modelo e facilita a seleção de mudanças mais altas (com menos 12% de carga na manete); este tipo de unidade também permite gerir de melhor forma o bloqueio da roda traseira nas reduções rápidas. Também novidade para 2019, o sistema HSTC de controlo de binário variável da Honda permite gerir a tração da roda traseira; o condutor pode desligá-lo se assim preferir.

Os consumos são de 4,9 l/100 km – 20,4 km/l – (em modo WMTC), para uma autonomia superior a 300 km por cada depósito de 15,4 litros.

 

4. Acessórios

Está disponível toda uma gama completa de acessórios para a CBR650R. Estes incluem:

Sistema Quickshifter de mudanças rápidas

Protetor de depósito

Tomada de corrente 12V para acessórios

Para-brisas mais alto

Punhos aquecidos

Bacquet para o branco do passageiro com inserção de alumínio

Suporte para o guarda-lamas dianteiro e tampas laterais e da admissão em alumínio

 

5. Especificações técnicas

MOTOR

 

Tipo

Motor de quatro cilindros em linha a 4 tempos, DOHC, 16 válvulas e arrefecimento por líquido

Cilindrada

649 cm3

Diâmetro x Curso

67 x 46 mm

Relação de compressão

11,6 : 1

Potência máxima

70kW/12.000 rpm (95/1/EC)

Binário máximo

64N·m/8.500 rpm (95/1/EC)

Capacidade de óleo

2,7 L

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL

 

Alimentação

Injeção eletrónica PGM-FI

Capacidade do depósito de combustível

15,4 L

Consumos

4,9 l/100 km – 20,4 km/l

SISTEMA ELÉCTRICO

 

Motor de arranque

Elétrico

Capacidade da bateria

12 V/8,6 AH

Potência do alternador

370 W

TRANSMISSÃO

 

Tipo de embraiagem

Embraiagem húmida hidráulica, discos múltiplos e molas helicoidais

Tipo de caixa

6 velocidades

Relação de transmissão final

Corrente selada por O-rings #525

QUADRO

 

Tipo

Diamante em aço

CICLÍSTICA

 

Dimensões (C x L x A)

2.130 x 750 x 1.150 mm

Distância entre eixos

1.450 mm

Ângulo da coluna da direção

25,5°

Eixo de arraste (trail)

101 mm

Altura do banco

810 mm

Altura ao Solo

130 mm

Peso em ordem de marcha

208 kg

SUSPENSÃO

 

Dianteira

Forquilha USD de 41 mm

Curso de 120 mm

Traseira

Mono-amortecedor com regulação da pré-carga, 43,5 mm de curso

JANTES

 

Dianteira

Alumínio fundido, 6 raios de secção oca

Traseira

Alumínio fundido, 6 raios de secção oca

Dimensão da Jante Dianteira

17M/C x MT3,5

Dimensão da Jante Traseira

17M/C x MT5,5

Pneu Dianteiro

120/70-ZR17M/C (58W)

Pneu Traseiro

180/55-ZR17M/C (73W)

TRAVÕES

 

Tipo de ABS

2 canais

Dianteiro

Sistema hidráulico de dois discos de 320 x 5,0 mm, pinças de dois êmbolos e pastilhas em material sinterizado

Traseiro

Sistema hidráulico de um disco de 240 x 5,0 mm, pinça de um êmbolo e pastilhas em resina moldada

INSTRUMENTOS E SISTEMA ELÉCTRICO

 

Instrumentos

Velocímetro digital, conta-rotações digital de barras, dois conta-quilómetros parciais, indicador digital por barras do nível de combustível, indicador digital de mudança engrenada e de mudanças mais altas e relógio digital

Sistema de segurança

Imobilizador HISS

Farol

LEDs

Farolim

LEDs

 

 

Galeria