iniciar sessão

Notícias

Honda CBR500R 2019

O modelo desportivo de média cilindrada da Honda, compatível com detentores de carta A2, recebe uma renovação em termos de aerodinâmica, com uma posição mais desportiva. O motor oferece agora mais potência e binário nas gamas de baixa e de média rotação e está agora equipado com uma embraiagem assistida deslizante. O novo painel de instrumentos LCD e piscas de direção de LEDs completam a gama de atualizações.

 

1. Introdução

O modelo CBR500R de carenagem integral – lançado em 2013 juntamente com a naked CB500F e a CB500X de aventura – oferece uma energia desportiva genuína graças ao motor de dois cilindros divertido deste modelo de baixo peso e média cilindrada.

Adequado para quem procura uma moto de maior cilindrada, este modelo oferece toda a condução entusiasmante de uma moto desportiva, mas com custos de manutenção muito comedidos, representando uma moto muito adequada para as deslocações diárias casa-trabalho-casa e para as escapadelas de fim de semana. Esta é uma proposta que também recolhe a aprovação dos condutores mais experientes que procuram uma moto de média cilindrada, mas que continua a oferecer todo o prazer de condução.

Em 2016, a CBR500R assumiu um estilo mais acutilante com as renovações então introduzidas que, entre outras, incluíram luzes de LEDs e atualizações na suspensão dianteira; agora, para 2019, este modelo recebe melhorias ainda mais agressivas, com novas formas e uma posição de condução ainda mais desportiva. O seu motor está mais forte em baixas rotações e roda livremente até atingir o redline, sempre com uma sonoridade excitante.

A CBR500R é um modelo comprovadamente rápido, económico, acessível e divertido. E, para 2019, o seu espírito permanece inalterado – sim, poderá dizer-se que é mais do mesmo; mas esse "mesmo" é muito bom e oferece algo mais.

 

2. Generalidades do modelo

O novo "look" da CBR500R é composto por ângulos e formas contrastantes – variando entre o muito esguio e o bastante musculado – desde a carenagem frontal até ao banco. É um design ergonómico que o condutor pode usar de forma agressiva, mas com melhorias ao nível da gestão dos fluxos aerodinâmicos. Os avanços do guiador estão agora montados por baixo do novo triângulo superior e a posição de condução está ainda mais desportiva.

Apesar de o seu motor manter os 35 kW necessários para este modelo continuar a poder ser conduzido por detentores de carta A2, oferece agora mais 4% de potência e de binário entre as 3.000 e as 7.000 rpm, graças às revisões introduzidas na admissão, no escape e na distribuição. O motor está agora equipado com embraiagem assistida deslizante.

O novo painel de instrumentos LCD inclui um indicador de mudança engrenada e outro que mostra ao condutor quando deve engrenar uma mudança mais alta; os piscas de direção são de LEDs, tal como o resto da iluminação. A ciclística não foi alterada, mas o novo monoamortecedor da suspensão traseira oferece performances consistentes e melhor controlo.

 

3. Características principais

3.1 Estilo e Ciclística

  • Linhas novas e mais agressivas, com dois faróis de LEDs
  • Formato aerodinâmico e eficiente, ergonómico e confortável
  • Avanços reposicionados para uma posição de condução mais desportiva
  • Novo painel de instrumentos LCD, com indicadores de mudança engrenada e de mudança mais alta
  • Piscas de LEDs

Para 2019, a evolução da CBR500R de carenagem integral está ainda mais agressiva, graças às linhas de caráter direitas e afiladas e às carenagens inferiores de maiores dimensões que destacam toda uma sensação muito real de velocidade. Todo o banco e as carenagens superiores e laterais estão agora mais esguios, melhorando a ergonomia e a capacidade de movimentação da moto. Os dois faróis de LEDs têm um formato acutilante e muito agressivo, com os piscas de LEDs a concluírem assim o sistema de iluminação que agora é todo de LEDs.

A vista para a frente, a partir do posto de condução da CBR500R, é puramente desportiva. Agora, os avanços do guiador estão montados por baixo do novo triângulo superior, uma unidade de caraterísticas desportivas; como resultado, a posição de condução está 8° mais inclinada para a frente e as carenagens também estão em posições mais baixas no chassis. Tudo isto oferece um Controlo Total ao condutor – a filosofia de design subjacente a esta renovação de estilo e a inspiração de toda a gama desportiva da Honda desde a chegada da Fireblade em 1992. 

O novo painel de instrumentos LCD inclui indicador de mudança engrenada e indicador de mudança mais alta; esta última função está programada para as 8.750 rpm mas pode ser ajustada em incrementos de 250 rpm, entre as 5.000 e as 8.750 rpm.

O quadro principal do tipo diamante em aço e 35 mm permanece inalterado para 2019. Este tipo de quadro é leve e muito robusto, com uma quantidade programada de flexão que permite ao condutor obter excelentes níveis de feedback das alterações na superfície da estrada. O formato e a posição dos apoios do motor, juntamente com o equilíbrio da rigidez do quadro também permitem reduzir ainda mais as vibrações.

A distância entre eixos é de 1.410 mm e o ângulo da coluna da direção e o eixo de arraste (trail) são de 25,5° e 102 mm respetivamente, originando uma direção ágil mas segura e que oferece muita confiança. A centralização das massas, com o motor colocado em posição muito próxima do ponto de pivot do braço oscilante, permite obter excelente agilidade em curva e a distribuição ótima do peso entre a frente e a traseira assegura a estabilidade necessária. O peso em ordem de marcha é de 192 kg.

A altura do banco não foi alterada, mantendo-se num valor baixo, 785 mm e torna a CBR500R um modelo bastante fácil de conduzir, com uma posição de condução confortável e muito espaço para condutores de todas as estaturas. As dimensões gerais são 2.080 x 750 x 1.145 mm, com altura ao solo de 130 mm. O depósito tem capacidade para 17 litros, incluindo a reserva e, em combinação com a excelente economia do motor, oferece uma autonomia de 480 km).

A forquilha telescópica de 41 mm da suspensão dianteira tem curso de 120 mm e oferece uma condução muito suave e controlada, com excelente feedback ao condutor da aderência do pneu dianteiro. O novo amortecedor traseiro monotubular (tal como se pode encontrar nas motos desportivas de maior cilindrada) substitui o anterior design de dois amortecedores e o seu êmbolo de maiores dimensões assegura uma suspensão traseira de excelentes respostas e caraterísticas fantásticas na gestão das temperaturas. Esta unidade traseira oferece 9 níveis de afinação da pré-carga da mola e trabalha sobre um braço oscilante rígido em tubos de aço de secção quadrada, agora com placas em aço prensado para a afinação da corrente. A transmissão final é feita por uma corrente 520 selada.

As jantes em alumínio fundido de baixo peso e 17 polegadas têm raios em Y de secção oca. A largura do pneu dianteiro é de 3,5 polegadas, com pneu 120/70-ZR17 e o pneu traseiro tem dimensões 160/60-ZR17 com jante de 4,5 polegadas. O travão dianteiro tem um único disco ondulado de 320 mm e pinças de dois êmbolos, complementado por um travão traseiro com um disco também ondulado, desta feita, de 240 mm e pinça de um só êmbolo. A moto vem equipada de série com ABS.

A CBR500R vai estar disponível nos esquemas cromáticos seguintes:

Cinzento Metalizado Mate Axis

Vermelho Grand Prix

Branco Pérola Metalloid

 

3.2. Motor

  • Motor bicilíndrico muito vivo, com arquitetura interna inspirada na CBR1000RR
  • Revisões ao nível da admissão, escape e distribuição, oferecem mais 4% de potência e binário a média rotação
  • Novo escape de sonoridade mais desportiva e duas saídas
  • Embraiagem assistida com função deslizante, facilita a engrenagem das mudanças mais altas e suaviza as reduções

O motor da CBR500R, uma moto que pode ser conduzida por detentores de carta A2, é uma unidade de dois cilindros paralelos, 8 válvulas e refrigeração por líquido, oferece um equilíbrio bem proporcionado entre dimensões físicas e potência disponível e agradável de usar, com um caráter energético de alta rotação e potência de pico muito forte. 

De si já bastante forte logo desde baixa rotação, o objetivo de desenvolvimento para o modelo de 2019 foi obter melhores acelerações à custa de um aumento da potência na gama de baixa e média rotação e do binário entre as 3 e as 7.000 rpm; a melhoria de 4% foi conseguida pelas alterações introduzidas na distribuição – com avanço de 5° no comando de fecho – e aumento de 0,3 mm na elevação, agora 7,8 mm.

Agora, podemos encontrar um sistema de injeção PGM-FI com admissão praticamente a direito, atravessando a caixa do filtro do ar e a rampa de aceleração. A bateria foi reposicionada para uma posição mais afastada (44,1 vs 13,4 mm) da parte traseira da conduta de admissão da caixa do filtro do ar, permitindo a entrada de melhores fluxos aerodinâmicos; o escape de duas saídas confere uma sonoridade mais marcante e desportiva ao motor. O pico de potência é de 35 kW e chega às 8.500 rpm, com o pico de binário de 43 N·m a aparecer às 7.000 rpm.

Os valores do diâmetro e do curso são de 67 e de 66,8 mm, respetivamente; os moentes da cambota estão desfasados a 180° e há um veio de equilíbrio de primeira ordem atrás dos cilindros, junto ao centro de gravidade da moto. O carreto primário e o carreto do veio de equilibrio são do tipo tesoura, para menor ruído. Os contrapesos da cambota têm formato específico e excelente equilíbrio de acoplagem e o seu baixo peso permite ao motor rodar livremente, com inércia reduzida.

Servindo como membro de esforço, o motor complementa a rigidez do quadro graças aos pendurais de montagem na cabeça do motor. Internamente, encontramos balanceiros de roletes na cabeça do motor e as válvulas são afinadas por pastilhas, aligeirando todo o conjunto, diminuindo a carga das molas das válvulas e reduzindo o atrito.

A distribuição é feita por corrente silenciosa (SV Chain), com pinos de superfície tratada com Vanádio, para menor atrito e melhor proteção contra o desgaste. As válvulas do motor têm diâmetros de 26,0 mm na admissão e 21,5 mm no escape.

O formato dos pistões tem por base os usados na CBR1000RR Fireblade, reduzindo o ruído provocado por estes componentes a alta rotação. O atrito também é reduzido pela inclusão de estrias nas saias dos pistões – um acabamento que aumenta a área da superfície através da introdução de folgas nas quais o óleo pode fluir, oferecendo melhor lubrificação. Tal como na CBR1000RR, foi aplicado um processo de banho de sal AB 1, usado após o tratamento de nitretação de isonite, que constitui uma membrana de proteção anti-oxidação.

As proporções triangulares da cambota, do veio primário e do contraveio são muito semelhantes às dos motores de quatro cilindros da gama RR da Honda e muita da estrutura interna deste motor é diretamente transposta da CBR1000RR.

O bloco do motor usa camisas de paredes finas fundidas por centrifugação e o seu design interno reduz as perdas por bombagem que ocorrem nos motores com 180° de ordem de ignição. Com a mesma estrutura de descarga da CBR1000RR, a bomba de óleo possui melhores performances em termos de gaseificação do óleo e atrito reduzido; o cárter fundo reduz o movimento do óleo nas curvas apertadas e nas travagens fortes. A capacidade de óleo é de 3,2 litros.

A caixa de seis velocidades é muito semelhante à da sua irmã RR e usa braços e articulações das mudanças com a mesma estrutura. Novidade para o modelo de 2019, a embraiagem assistida deslizante (embraiagem Assist/Slipper) oferece mudanças mais leves e suaves, especialmente nas reduções fortes.

 

4. Acessórios

Está disponível toda uma gama completa de acessórios para a CBR500R. Estes incluem:

Top case de 35 L

Porta-bagagens traseiro

Saco de depósito

Saco para o banco

Para-brisas mais alto

 

5. Especificações técnicas

MOTOR

 

Tipo

Bicilíndrico paralelo, arrefecimento por líquido

Cilindrada

471 cm³

Nº. de válvulas por cilindro

4

Diâmetro x Curso

67 x 66,8 mm

Relação de compressão

10,7 : 1

Potência máxima

35 kW/8.600 rpm

Binário máximo

43 N·m/6.500 rpm

Capacidade de óleo

3,2 L

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL

 

Alimentação

PGM FI

Capacidade do depósito de combustível

17,1 litros

Consumo de combustível (método WMTC)

3,4 l/100 km (29,4 km/litro)

SISTEMA ELÉCTRICO

 

Capacidade da bateria

12 V 7,4 AH

Potência do alternador

25A/2.000 rpm

TRANSMISSÃO

 

Tipo de embraiagem

Húmida, multi-discos

Tipo de caixa

6 velocidades

Relação de transmissão final

Por corrente

QUADRO

 

Tipo

Diamante em aço

CICLÍSTICA

 

Dimensões (C x L x A)

2.080 x 755 x 1.145 mm

Distância entre eixos

1.410 mm

Ângulo da coluna da direção

25,5 graus

Eixo de arraste (trail)

102 mm

Altura do banco

785 mm

Altura ao Solo

130 mm

Peso em ordem de marcha

192 kg

SUSPENSÃO

 

Dianteira

Forquilha telescópica convencional de 41 mm e regulação da pré-carga

Traseira

Mono-amortecedor Por-Link com 9 níveis de regulação da pré-carga e braço oscilante de tubos quadrados em aço

JANTES

 

Dianteira

Alumínio fundido, raios múltiplos

Traseira

Alumínio fundido, raios múltiplos

Dimensão da Jante Dianteira

17 x MT3,5

Dimensão da Jante Traseira

17 x MT4,5

Pneu Dianteiro

120/70ZR – 17M/C

Pneu Traseiro

160/60ZR – 17M/C

TRAVÕES

 

Tipo de ABS

2 canais

Dianteiro

Um disco ondulado de 320 mm, pinças de 2 êmbolos

Traseiro

Um disco ondulado de 240 mm, pinça de 1 êmbolo

INSTRUMENTOS E SISTEMA ELÉCTRICO

 

Instrumentos

Velocímetro digital, conta-rotações digital de barras, dois conta-quilómetros parciais, indicador digital de nível e de consumos de combustível, relógio digital e indicador digital de mudança engrenada

Sistema de segurança

HISS (Honda Ignition Security System - Sistema Imobilizador Honda)

Farol

Médio, 13W. Máximo 12,8 W

 

 

 

Galeria